Diário de Bordo II

Diário de Bordo - II

Durante os últimos dias o trabalho tem sido algum, mas pequenas peripécias da vida de freelancer têm tomado conta da “actualidade”. Imagine-se que eu, este jovem freelancer sem consciência, aproveitou algumas horas do(s) seu(s) dia(s) (e o facto de ter dois ajudantes nesta fase) para se dedicar a tentar receber alguns trabalhos que tardavam (muito) a ser pagos. O que é que isso faz de mim? Muita coisa, desde mentiroso, interesseiro, sem escrúpulos e até injusto... Fiquem a saber isto e muito mais na segunda página do meu diário de bordo.

Vou começar por aquilo que mereceu maior destaque na minha página do Facebook que foi o lançamento do primeiro episódio do [Sobre]Viver por Conta Própria com o Sérgio Santos.

A websérie mereceu destaque no Labor, na Rádio Clube da Feira e no Diário de Aveiro e o artigo que contém o episódio neste blog teve mais de meio milhar de visitas até à data e hora em que este artigo está a ser escrito. Isso é FIXE! Sexta há novo episódio desta feita com a Vânia Reis, uma das mais reconhecidas maquilhadoras do nosso país. Não percam!

 

O Tardo está já na fase da inclusão da banda sonora (cuidadosamente composta pelo Bruno Tavares e gravada pelo Xavier Marques) e da legendagem. Estamos na fase final e já a apontar ao primeiro festival.

Por falar em festival, como sabem tudo isso tem custos. Apesar do documentário estar feito segunido a lógica do orçamento zero, daqui para a frente não há grande coisa que possa ser feita nessa filosofia. A maioria dos festivais pagam-se e para lá ir temos de nos deslocar e por vezes pernoitar. Além disso, para distribuir O Tardo em DVD há taxas, licenças e coisinhas que têm de ser pagas... Não há volta a dar. Para enfrentar isso, criei um projecto de crowdfunding com o objectivo de angariar 800€ que não chegam mas serão uma grande ajuda para tudo isto. Se puder, ajude. No caso de não atingirmos os 800€, TODO o dinheiro será devolvido. Além disso, temos grandes recompensas para quem apoiar.

 

Vamos a coisas que se não fossem verdade até seriam engraçadas:

O Record usou uma fotografia minha sem autorização. A fotografia ilustrava a notícia da ida do Guima da Oliveirense para o Sporting. Eu contactei-os e eles prontamente se disponibilizaram a pagar pela foto, admitindo a falha e tratando tudo com a máxima humildade e transparência possível. Saúdo-os por isso.

No entanto, o recibo e a documentação foram enviados e o facto é que a transferência ainda não caiu... Continuamos aí na luta a aguardar...

No que toca às cobranças, como disse numa das entrevistas que dei a propósito do [Sobre]Viver por Conta Própria, são uma das coisas mais difícies de ser freelancer. Receber é complicado. Se há clientes que pagam “como o Sol” outros há que são como aqueles cometas que passam de 70 em 70 anos... Felizmente que sei como me mexer e deixo uma dica: um bom freelancer tem de ter um bom advogado como amigo. E quando tudo falhar, que haja ao menos saldo para lhe ligar.

Claro que o ideal é sempre tentar não recorrer a isso e o próprio advogado, se for bom, vai convencer-vos a falar com o cliente primeiro e clarificar a situação. Mas vai haver sempre aquele cliente que vai achar extremamente desagradável, desadequado e mesmo estúpido que vocês tentem receber aquele trabalho que não vos foi pago há dois anos... A vida é mesmo injusta para esses clientes. Vejam lá: mesmo quando eles pensavam que eu já me tinha conformado com a dívida, o traste tenta receber...

Um abraço a todos os meus clientes que ainda me pagam.

Marcações: trabalho

Comentários

Construído com HTML5, CSS3 e todas essas cenas - Copyright © 2018 Sérgio Martins

Download Freewww.bigtheme.net/joomla Joomla Templates Responsive