Filmes de Terror

O Problema com os filmes de terror actuais.

Encontrei este vídeo no YouTube quase por acaso e não podia concordar mais. O problema com os filmes de terror hoje em dia não está nos filmes em si mas nas expectativas do público. Os filmes de terror dividem-se em vários subgéneros e o Terror Psicológico é talvez aquele que a mim mais me atrai. É também aquele que deixa mais à imaginação do público e, por isso, seja o mais incompreendido pelo público em geral.

O que há de errado então com o público dos filmes de terror hoje em dia? Bem, na realidade o público dos filmes de terror de hoje em dia procura apanhar uns belos sustos na cadeira durante o evento. Mas o terror é apenas isso? Medo e susto são a mesma coisa? Eu assusto-me quando estou a dormir e as minhas cadelas desatam a ladrar... Mas isso não quer dizer que tenha medo delas.

O caminho para a resposta passa exactamente por aqui: os filmes de terror com mais sucesso nas bilheteiras de hoje em dia são apenas compilações de truques de som baratos para nos fazer saltar da cadeira. A maior parte das pessoas parece medir a qualidade de um filme de terror pela quantidade de vezes que um susto as faz saltar da cadeira. É a isto que o autor do vídeo, Chris Stuckmann, chama “the curse of the jump scare”: o som vai desaparecendo, não há música, todos estão calados e de repente um som abrupto corta este silêncio a um volume exagerado e toda a gente dá aquele saltinho e larga uma pinguinha... Mas nada acontece.

O autor do vídeo até usa uma cena do clássico Halloween de 1978, à qual acrescenta um efeito sonoro, para nos provar o quão errado é esta técnica e este julgamento. Isto não faz mais do que nos causar falsos sustos aumentar um pouco a nossa adrenalina e, depois, quando o verdadeiro susto acontece ficamos “ah, era isto?!”.

Halloween

O uso repetido disto, fez com que nos esqueçamos do que é o verdadeiro terror.

Outro problema é o marketing. Os filmes são lançados para as massas e não para o público-alvo específico, o que cria falsas expectativas. Aqui o autor dá o exemplo do Babadook: o filme é lançado como sendo um filme sobre uma criatura horrível quando, na realidade é um filme de terror psicológico onde (SPOILER AHEAD)

Babadook

.

.

.

.

a criatura nunca aparece.

A questão aqui é que alguém nos estúdios descobriu que um filme de terror pode ser feito por valores muito baixos e gerar lucros tremendos. Vejamos o filme Ouija que custou 5 Milhões de Dólares e nas primeiras semanas gerou 42 Milhões. Estamos a falar de um filme que teve de sofrer muito para ter mais de 6 no IMDb.

Vejam o vídeo. Está muito esclarecedor e é perfeito.

Marcações: cinema, terror

Comentários

Construído com HTML5, CSS3 e todas essas cenas - Copyright © 2018 Sérgio Martins

Download Freewww.bigtheme.net/joomla Joomla Templates Responsive